08/09/2016

321. Festa da Natividade de Nossa Senhora

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém.

Meus queridos irmãos, no dia de hoje, com grande alegria, celebramos o nascimento da bem-aventurada Virgem Maria. A Igreja na sua liturgia não costuma celebrar o nascimento das pessoas, geralmente, a festa dos Santos é marcada com o seu "Die natalis". Essa expressão quer dizer, o nascimento deles para o céu, ou seja, quando as pessoas morrem, aí que a Igreja faz festa, porque finalmente a pessoa alcançou o prémio eterno e nasceu para Deus no Céu.

Mas na liturgia, existem 3 exceções, o Natal de Nosso Senhor Jesus Cristo, e os nascimentos de São João Batista e da Virgem Maria, porque essas três pessoas já foram salvas, já estavam salvas, antes de nascer. Jesus, por razões óbvias, Ele é o Salvador, não precisa ser salvo, por isso nós celebramos o seu nascimento, que é a entrada da salvação neste mundo. São João Batista, porque ele foi redimido no ventre de Santa Isabel, quando a saudação de Nossa Senhora chegou aos ouvidos da Santa Isabel, a criança, estremeceu no ventre da mãe, e ali, houve o primeiro milagre da graça, a redenção de São João Batista. E finalmente a Virgem Maria, que nasceu Imaculada.

Por isso, a festa de hoje, 8 de setembro, está intimamente ligada com, 8 de dezembro. Faça as contas. Você vai ver aí, nove meses. 8 de dezembro, Imaculada conceição da Virgem Maria, e nove meses depois, o seu nascimento bendito, com o qual, o mundo inteiro se alegra. Por isso, nós celebramos hoje, o nascimento da Imaculada, em que ela veio ao mundo. Só de nós vermos isso, já aprendemos aqui uma grande coisa, seria importante que nós soubéssemos celebrar nosso nascimento da graça, ou seja, quantas festas nós fazemos para o nosso nascimento biológico, mas a liturgia da Igreja nos ensina, no "Exultet"do precônio pascal, que é cantado na vigília pascal, de nada adiantaria termos nascido, se não tivéssemos sido redimidos.

Talvez, uma boa tarefinha pra você no dia de hoje seria, pesquisar a data do seu batismo, para que você, pelo menos privadamente, saiba, exulte e agradeça a Deus, enormemente, pelo seu nascimento na graça, porque você verdadeiramente foi introduzido na Igreja, como membro da Igreja, e um dia poderá cantar as glórias de Deus no Céu. Mas a festa de hoje não é somente isto, o nascimento da Virgem Maria, é um nascimento, desta criatura, que verdadeiramente por eleição de divina, por gratuidade de Deus, é a maior de todas as criaturas, agraciada, plenamente, desde o começo.

A quantidade de graça, ou seja, do amor de Deus, derramado na Virgem Maria, que foi dado a ela no momento da sua concepção, é maior do que a de qualquer outra criatura e dizem alguns teólogos até maior do que todas as criaturas juntas. Isso quer dizer na prática o seguinte, que no ventre de Santa Ana, a Virgem Maria, no dia da sua concepção, recebeu mais graças, do que todos os anjos e todos os santos, jamais receberiam. Quer dizer que a graça inicial de Nossa Senhora já é  extraordinária. Que beleza, o nascimento desta mulher. Que alegria para nós, que Deus nos tenha dado uma mãe tão boa assim, que ele tenha caprichado, dando uma mãe maravilhosa ao seu Filho Jesus, e que Ele tenha nos dado de presente esta mãe.

O nascimento dela enche o universo de alegria, os anjos exultam admirados de ver tanto amor, no coração de uma humilde mulher, que alegria, para nós sabemos o quanto ela, nascendo, está destinada a amar a Deus, e através desse seu amor a Deus nos amar também, sintamo-nos agraciados e felizes com o nascimento de nossa mãe.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, Amém.

Acima texto transcrito do vídeo:

Texto do site:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Mateus
(Mt 1, 18-23)

A origem de Jesus Cristo foi assim: Maria, sua mãe, estava prometida em casamento a José, e, antes de viverem juntos, ela ficou grávida pela ação do Espírito Santo.

José, seu marido, era justo e, não querendo denunciá-la, resolveu abandonar Maria em segredo. Enquanto José pensava nisso, eis que o anjo do Senhor apareceu-lhe, em sonho, e lhe disse: "José, Filho de Davi, não tenhas medo de receber Maria como tua esposa, porque ela concebeu pela ação do Espírito Santo. Ela dará à luz um filho, e tu lhe darás o nome de Jesus, pois ele vai salvar o seu povo dos seus pecados".

Tudo isso aconteceu para se cumprir o que o Senhor havia dito pelo profeta: "Eis que a virgem conceberá e dará à luz um filho. Ele será chamado pelo nome de Emanuel, que significa: Deus está conosco".

A Igreja, fiel às suas pias tradições, tem o sábio costume de celebrar a memória dos santos e mártires na data de falecimento de cada um deles. Ao fazê-lo, a madre Igreja nos ajuda a recordar que é no momento da morte que o santo, após ter combatido o bom combate, é premiado com a coroa da glória: pois é ao morrer na terra que o homem justificado nasce para a vida eterna no Céu. Esta regra, porém, admite três exceções, como já tivemos ocasião de explicar em homilias passadas.

Com efeito, além de Nosso Senhor e de São João Batista, a bem-aventurada e sempre virgem Maria tem a honra de ter a sua natividade comemorada pelos cristãos de todo o mundo. E isso devido não apenas à sua íntima cooperação na obra de Redenção do gênero humano, mas também e principalmente aos privilégios extraordinários com que Deus, preservando-a de toda mácula de pecado, quis adorná-la e prepará-la para tornar-se digna Mãe do nosso Salvador. Assim fazendo, Ele nos concedeu também a nós a alegria de podermos ser chamados filhos de tão pura e excelsa Mãe.

Elevemos, pois, o nosso coração ao alto e recorramos hoje com especial confiança àquela que, cheia de graça e amor, foi elevada pelo Altíssimo acima de todos os santos, de todos os coros angélicos. Que a Virgem Imaculada sempre interceda por nós e nos faça filhos cada vez mais humildes e caridosos.


Espelho completo e corrigido do link com os textos, áudio transcritos, bibliografias e referências:
https://padrepauloricardo.org/episodios/festa-da-natividade-de-nossa-senhora