19/09/2016

Como lâmpadas num candelabro - HD330 - Segunda-feira da 25.ª Semana do Tempo Comum (P)

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Meus queridos irmãos e irmãs, o engelho de hoje nos coloca diante da realidade de que a lâmpada que é a nossa fé precisa ser colocada num candelabro. Nós ouvíamos outro dia a parábola do semeador, nós recebemos a semente. precisamos receber essa semente, escutá-la, não somente isso, estarmos dispostos a pagar o preço do crer e assim, somente assim, irá produzir muito fruto.

Em continuidade com essa parábola, Jesus então fala da lâmpada que não deve ser escondida, mas colocada num candelabro para que todos vejam e assim é que nós devemos prestar atenção, diz Jesus, à forma como escutais. Por quê? Porque quem não tem, até o pouco que tem lhe será tirado. O que quer dizer isso?

Quer dizer que se você recebe a semente da Palavra de Deus e essa semente frutifica, então você realmente tem e produz fruto, se você recebe a Palavra mas não frutifica nada, essa semente que não frutificou, ela apodrece, ou seja, você a perde. Ela foi tirada. Isso faz com que nós que somos cristãos, católicos, façamos um belo exame de consciência: é verdade, nós somos diferentes do mundo, nós recebemos a Palavra de Deus, nós recebemos tantas graças, mas Jesus diz, "prestai atenção à forma como ouvis", nós precisamos estar bem atentos porque, porque a Palavra de Deus não vem para passar a mãozinha sobre a nossa cabeça, ela vem para nos incomodar e somente na transformação do egoísta que está dentro de nós, num homem novo, numa mulher nova, é que nós verdadeiramente poderemos frutificar como falava a parábola do semeador.

Hoje, 19 de setembro, nós celebramos as aparições de Nossa Senhora La Salette, a Virgem Maria aparece chorando, chorando por quê? Porque o mundo é mau? Porque as pessoas lá fora são perversas? Não. Chorando porque os seus filhos, os filhos da Igreja, não estão ouvindo a Palavra de Deus. "Prestai atenção na forma como escutais", ou seja, aí está a grande dificuldade. Aqueles que deveriam ser luz no mundo não estão iluminando, aqueles que deveriam ser sal da terra, não estão salgando, porque, porque nós não queremos sair do nosso comodismo burguês.

Nossa Senhora quando aparece aos dois pastorinhas dos Alpes Franceses, Ela aparece chorando e reclama do seu povo, ou seja, do povo católico, mas quando ela chama a atenção, em primeiro lugar, ela não chama a atenção daqueles mandamentos da segunda Tábua da Lei em que nós precisamos amar o próximo, Ela está sobretudo chorando pelos mandamentos da primeira Tábua da Lei, ou seja, os mandamentos que dizem respeito a Deus estão sendo desrespeitados. "Prestai atenção à forma como ouvis", essa frase nos remete, claro, quase que automaticamente, para o Shemá Israel, "Ouve, Israel, o Senhor, somente o teu Senhor é um só, o único Deus, não terá outros deuses".

Nossa Senhora chora, chora porque nós que deveríamos ser bons cristãos, estamos desobedecendo esse mandamento fundamental de ter somente Deus como Deus, nos colocando a nós no lugar de Deus. Façamos então o nosso exame de consciência. Choremos junto com a Virgem de La Salette, peçamos perdão, por quê? Porque recebemos a Palavra e não frutificamos, porque acendemos a lâmpada e a escondemos debaixo do alqueire.

Que Deus abençoe você.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Acima, texto transcrito do vídeo:


Abaixo, texto do site:


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 8, 16-18)


Naquele tempo, disse Jesus à multidão: "Ninguém acende uma lâmpada para cobri-la com uma vasilha ou colocá-la debaixo da cama; ao contrário, coloca-a no candeeiro, a fim de que todos os que entram vejam a luz. Com efeito, tudo o que está escondido deverá tornar-se manifesto; e tudo o que está em segredo deverá tornar-se conhecido e claramente manifesto.

Portanto, prestai atenção à maneira como vós ouvis! Pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais; e àquele que não tem, será tirado até mesmo o que ele pensa ter".

"Prestai atenção à maneira como vós ouvis", adverte-nos o Senhor no Evangelho desta segunda-feira. Dando remate à parábola do semeador, Jesus conclui hoje o seu pensamento e se dirige de modo bastante específico a nós que, regenerados pelo lavacro do Batismo, nos dizemos seus discípulos. Com efeito, uma vez ouvida e recebida a Palavra de Deus, temos de fazê-la frutificar, "pois a quem tem alguma coisa, será dado ainda mais"; precisamos recebê-la com um coração aberto à verdade, que vem quase sempre desmanchar nossas fantasias e trazer-nos à realidade. Não podemos, pois, tê-lo à maneira de um solo seco e estéril, onde a semente da Palavra cai, mas não dá fruto; onde até germina, mas é sufocada pelo sol de nossas preocupações.

Os frutos da Boa-Nova de Jesus têm de manifestar-se em nossa vida concreta, dia após dia, como um lâmpada acesa num candelabro, a fim de que todos, vendo-a brilhar, glorifiquem o nosso Pai, que está nos céus. Os cristãos devemos ser luz do mundo, e não luzimos; devemos ser sal da terra, mas não salgamos. Prestemos, portanto, atenção à maneira com que ouvimos e vivemos o Evangelho no qual acreditamos. Obedientes às palavras do Salvador e cumprindo, com o auxílio de sua graça, os mandamentos da Lei, enxuguemos hoje, aniversário de sua aparição em La Salette, as lágrimas maternais de Nossa Senhora.



-------

Espelho completo e corrigido do link com os textos, áudio transcritos, bibliografias e referências:
https://padrepauloricardo.org/episodios/como-lampadas-num-candelabro