30/09/2016

Deus escolhe o vil e desprezível - HD340 - Sexta-feira da 26.ª Semana do Tempo Comum (P)

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Meus queridos irmãos e irmãs, o evangelho de hoje é o evangelho que nos ensina que as cidades que foram privilegiadas, aquelas que foram realmente escolhidas por Deus para presenciar o carinho de Deus com os milagres, a pregação de Cristo, a sua presença, embora tenham sido agraciadas, elas, na verdade, serão cobradas com maior severidade, por quê? Porque não corresponderam ao amor com que foram amadas. Ao contrário, evidente, se nós correspondermos ao amor com que fomos amados, então estamos num bom caminho. Hoje é dia 30 de setembro, embora seja a memória de São Jerônimo, o grande biblista, também gostaríamos de recordar que foi no dia 30 de setembro, às 19 horas e 25 minutos que Santa Teresinha do Menino e da Sagrada Face, na enfermaria do Carmelo de Lisieux entregava a sua belíssima alma a Deus.

Eis aí uma mulher que soube corresponder aos privilégios e as graças de Deus. Ela foi querida por Deus, ela foi escolhida por Deus e aqui nós encontramos no evangelho de hoje o interessante paralelo com a vida de Santa Teresinha. Veja, quem é que foi agraciado com a presença de Cristo e com os milagres de Cristo? Não foi Jerusalém. Jerusalém era a cidade preferida de Deus e, de fato, é a capital, o lugar do templo, mas não foi ali que Jesus quis morar, quis ter a sua casa, foi em Cafarnaum, na humilde Cafarnaum que Deus veio morar, veio fazer ali o seu centro de operações.

Também na Igreja existe um pouco este mistério. Se nós formos olhar para a vida dos santos, nós iremos ver que sim, claro, existiram grandes Papas que foram santos, mas os cumes da santidade, os santos que realmente fizeram a diferença na vida de milhões e milhões de católicos foram pessoas escondidas, como Teresinha. Aqui então nós encontramos essa realidade da pequenez, de que Deus escolhe o que é pequeno, frágil e desprezado para privilegiar e para fazer com que aquilo seja um instrumento de conversão e de salvação para muitos.

Por isso você, você que eclesialmente não tem muita importância, pode ser que Deus esteja escolhendo você, escolhendo você para ter a fé que talvez grandes prelados não tenham para dar ao Cristo um amor que talvez pessoas importantes não dêem para corresponder à essa eleição secreta e estranha dos que escolhem os pequenos. Ao ver a pequena santa de Lisieux vemos como, de fato, Deus sabe esconder o seu tesouro. O reino dos céus é como um tesouro escondido, de fato, Teresinha foi um tesouro escondido. As próprias monjas do Carmelo de Lisieux não reconheceram a sua santidade.

No processo de canonização de Santa Terezinha se encontra ali uma, o testemunho de uma das monjas quando Teresinha morreu, ela disse assim: "É, a Madre Priora vai ter uma dificuldade muito grande de escrever a carta mortuária da Irmã Teresa do Menino Jesus, porque é difícil escrever a carta de uma pessoa que não fez nada durante a vida." Eis aí, aos olhos dos homens aquilo que era o segredo de Deus, o segredo do grande amor, com que amor Teresinha, no dia de hoje entrega a sua vida a Deus, nesse dia de sua páscoa. Louvamos a Deus pelo dom, pela grande dádiva que foi Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face e já vamos preparando o nosso coração para celebrar a sua extraordinária memória no dia de amanhã.

Deus abençoe você.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.



Acima, texto transcrito do vídeo:



Abaixo, texto do site:



Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 10, 13-16)

Naquele tempo, disse Jesus: "Ai de ti, Corazim! Ai de ti, Betsaida! Porque se em Tiro e Sidônia tivessem sido realizados os milagres que foram feitos no vosso meio, há muito tempo teriam feito penitência, vestindo-se de cilício e sentando-se sobre cinzas. Pois bem: no dia do julgamento, Tiro e Sidônia terão uma sentença menos dura do que vós. Ai de ti, Carfanaum! Serás elevada até o céu? Não, tu serás atirada no inferno. Quem vos escuta a mim escuta; e quem vos rejeita a mim despreza; mas quem me rejeita, rejeita aquele que me enviou".

Deus escolhe o que é vil e desprezível aos olhos dos homens para ali esconder o seu tesouro e realizar suas obras grandiosas. Pois não foi em Jerusalém, capital política e religiosa de Israel, que Jesus quis fazer a sua morada e operar seus prodígios, mas na humilde Cafarnaum, esquecida às margens do Mar da Galiléia. Assim também o Senhor age pela graça nas almas que mais são do seu agrado; com efeito, Ele não costuma escolher — e aí está a história para prová-lo — altos dignitários, postos nas primeiras filas da hierarquia eclesiástica, para deles tirar os santos que mais resplandecem no céu da cristandade. 

É claro que houve e há, sim, almas de inegável santidade elevadas a posições de destaque na vida e governo da Igreja — papas, cardeais, bispos, prelados etc. É, no entanto, no coração dos que, no mundo, são tidos por estultos e fracos que Ele faz brotar um amor insuspeitável, verdadeiramente heróico, que supera e desafia a "sabedoria" deste século. Porque "a loucura de Deus", diz o Apóstolo, "é mais sábia do que os homens, e a fraqueza de Deus é mais forte do que os homens" (1Cor 1, 25). Tendo presente esta verdade, preparemo-nos neste dia para celebrar amanhã a memória de Santa Teresinha do Menino Jesus, alma pequena e sem importância para a tolice do mundo, mas grande e valiosa aos olhos do Altíssimo.


-------

Espelho completo e corrigido do link com os textos, áudio transcritos, bibliografias e referências:
https://padrepauloricardo.org/episodios/deus-escolhe-o-vil-e-desprezivel