29/09/2016

Festa dos Santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael - HD339

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Meus queridos irmãos e irmãs, celebramos hoje os Arcanjos São Miguel, Gabriel e Rafael. E qual é a missão dos anjos em nossa vida? Veja, nesses dias nós estamos refletindo no evangelho de São Lucas essa viagem de Jesus para Jerusalém, portanto, também a nossa viagem atravessando essa terra na direção do céu. Pois bem, nessa viagem nós temos perigos, portanto, é uma luta a vida do homem sobre a terra e Deus nos envia os seus mensageiros, os Santos Anjos, para nos ajudar neste trânsito, nesta passagem, nessa páscoa na direção do céu. Exatamente como havia um anjo da guarda que acompanhava o povo de Israel no deserto, assim também nós temos os nossos anjos e os nossos anjos individuais.

Assim como existem os arcanjos que têm uma missão mais ampla, ou seja, mais voltada para o povo de Deus como um todo. Eu tenho o meu anjo da guarda, nós iremos celebrar os anjos da guarda no dia dois de outubro, mas eu tenho aqui os Arcanjos que têm uma missão não somente para a minha salvação, mas uma realidade mais ampla para a salvação do povo de Deus, em geral. Na primeira leitura de hoje, uma das opções de leitura, é aquela batalha no céu, no Apocalipse, onde Miguel é o chefe da milícia celeste e é ele quem trava esta batalha.

É interessante nós notarmos que dentro dos coros angélicos, São Miguel não é um general, ou seja, um oficial graduado de altíssima patente, não, ele é até um anjo modesto porque nas nove hierarquias dos anjos, os arcanjos são os penúltimos, ou seja, os últimos são os anjos, penúltimos os arcanjos, portanto, não é uma coisa muito elevada. Então a gente fica se perguntando, mas por que é que São Miguel, que não é graduado lá em cima, por que é ele quem guia esta batalha no céu contra Satanás, que é um anjo muito mais poderoso que ele. É que, segundo a tradição da Igreja, São Miguel conseguiu ser aquele instrumento de Deus que acordou os anjos, em geral, no meio daquela batalha espiritual através da humildade.

A própria palavra, o nome de São Miguel, "mi ka El", quem como Deus?, é uma profissão de fé e, ao mesmo tempo, de humildade, ou seja, quem é como Deus? Ninguém é como Deus, portanto, Lúcifer, tu és grande, tu és luminoso, tu és poderoso, mas "quem é como Deus?", portanto, esta espada que as imagens de São Miguel retratam, a espada que São Miguel traz na mão é a espada da humildade, ou seja, é com esta espada que ele abate Satanás, embora Satanás seja muito mais do que Miguel enquanto natureza angélica, Miguel, na sua humildade, conseguiu ser instrumento de Deus e é exatamente aqui que nós sabemos que temos estes anjos que são elevadíssimos diante de Deus e ao mesmo tempo tão humildes e por isso tão santos.

No dia de São Miguel, Gabriel e Rafael, nós nos alegramos em saber que temos esses nossos companheiros que nos ajudam nesta batalha, mas sobretudo, aprendemos com São Miguel a usar a arma da humildade. É com a humildade que nós iremos vencer a força do demônio, de Satanás. Os demônios são muito mais poderosos do que nós, mas existe uma coisa que eles não são capazes, eles não são capazes de um gesto de humildade e é a humildade que abri Deus e traz a graça de Deus que vem até nós e com ela venceremos as milícias dos demônios. Ali a grande batalha já está decidida, Deus vencerá, seja humilde e se decida a estar do lado do vencedor.

Deus abençoe você.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.



Acima, texto transcrito do vídeo:


Abaixo, texto do site:


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São João

(Jo 1, 47-51)

Naquele tempo, Jesus viu Natanael que vinha para ele e comentou: "Aí vem um israelita de verdade, um homem sem falsidade". Natanael perguntou: "De onde me conheces?" Jesus respondeu: "Antes que Filipe te chamasse, enquanto estavas debaixo da figueira, eu te vi". Natanael respondeu: "Rabi, tu és o Filho de Deus, tu és o Rei de Israel". Jesus disse: "Tu crês porque te disse: "'Eu te vi debaixo da figueira'? Coisas maiores que esta verás!" E Jesus continuou: "Em verdade, em verdade eu vos digo: Vereis o céu aberto e os anjos de Deus subindo e descendo sobre o Filho do Homem".

A vida do homem sobre a terra, lembra-nos o sábio Jó, não é senão luta e desassossego (cf. Jó 7, 1). Como peregrinos, vivemos neste mundo sem ter morada definitiva, porque a nossa pátria verdadeira está acima das nuvens, está no Céu, junto de Deus. Até que lá cheguemos, porém, temos de sobreviver a este desterro e aos inúmeros perigos que nele há, às diversas emboscadas que ao longo do caminho nos arma a astúcia de Satanás. Ora, assim como o Senhor enviara um anjo para guardar o povo de Israel até a chegada à Terra Prometida, assim também Ele envia à sua Igreja — novo Israel — anjos custódios que a guiem e protejam até o seu triunfo derradeiro na glória celeste.

É o que nos recorda a festa que hoje celebramos com especial alegria: os santos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael, com efeito, são os três principais instrumentos de que se serve Deus para conduzir os membros de sua Igreja às moradas eternas. Embora pequenos na hierarquia celeste, estes três anjos — e Miguel, de modo particular — são prova de que é pela humildade que se vence a soberba do demônio; é pois pelo reconhecimento da própria pequenez que é possível tornar-se grande aos olhos do Altíssimo, que resiste aos orgulhosos (cf. Tg 4, 6) e a quem nada nem ninguém pode superar em grandeza, poder e santidade. A Ele glória e louvor pelos séculos sem fim.



-------

Espelho completo e corrigido do link com os textos, áudio transcritos, bibliografias e referências:
https://padrepauloricardo.org/episodios/festa-dos-santos-arcanjos-miguel-gabriel-e-rafael