27/09/2016

O caminho para Jerusalém - HD337 - Terça-feira da 26.ª Semana do Tempo Comum (P)

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Meus queridos irmãos e irmãs, no evangelho de hoje, Jesus toma a firme decisão de ir para Jerusalém. É interessante nós notarmos que o evangelho de São Lucas, ao contrário dos outros evangelistas, é um evangelho realmente cortado em duas partes: até aqui, até esse versículo 51, do capítulo 9, Jesus está exercendo seu ministério ali na região da Galiléia, na sua terra natal, mas aqui, então, há uma virada decisiva e as palavras de São Lucas são peremptórias, são realmente palavras de peso, ele diz: "Jesus então tomou a firme decisão de ir para Jerusalém".

Em que consiste essa decisão? Bom, em primeiro lugar, nós temos que concordar que o caminho para Jerusalém de quem vem da Galiléia é uma subida. Jerusalém fica no alto, a 700 metros do nível do mar e ali, naquela cidade, no alto, o Cristo vai subir. Sim, mas vai subir não somente para Jerusalém, vai subir para o céu, vai subir para o céu para nos salvar.

Vamos recordar que São Lucas é o evangelista que narra duas vezes a ascensão do Senhor. Narra no evangelho de São Lucas e narra no início dos Atos dos Apóstolos. É aquele que põe a cena da ascensão como sendo realmente uma pedra fundamental da construção da arquitetura do evangelho que ele escreveu. Mas isso exatamente porque, porque o Cristo está nessa sua viagem, nessa sua viagem para Jerusalém e para o céu. É uma viagem, é uma Páscoa. Sim, o povo de Deus, o povo de Deus, foi caracterizado por uma grande viagem.

A saída do Egito, a saída da escravidão do Faraó, a passagem pelo Mar Vermelho, tempos de deserto e, finalmente, a entrada na Terra Prometida, esse itinerário do povo no Antigo Testamento agora é o itinerário de Cristo, é o nosso itinerário. Assim como Jesus, decidido, decidido, vai para Jerusalém porque Ele sabe que precisa agora enfrentar a Cruz, porque sem Cruz não haverá ressurreição e sem ressurreição não haverá ascensão de volta para a casa do Pai, assim também nós precisamos tomar esta firme decisão.

O evangelho de hoje é o evangelho da decisão. E você, não vai se decidir? Ou seja, até quando nós vamos ficar acalentando o sonho de que nós vamos arranjar uma alternativa de um cristianismo burguês, um cristianismo que vai nos tirar da nossa comodidade. "Não, tá tudo bem, eu vou à Igreja, pago o dízimo, faço os meus deverzinhos, mas esse negócio de sofrer, esse negócio de carregar a Cruz, renunciar a mim mesmo, de passar pela morte para a ressurreição, isso é para uns poucos eleitos, não é para todos". Não, não é assim.

A Cruz não é a exceção, ela é a regra. Ela é o único caminho possível, porque exatamente Deus é um Deus de amor, não é possível nós seguirmos um Deus de amor e mantermos o egoísta dentro de nós vivo. Nós precisamos tomar a firme decisão, precisamos jurar de morte o egoísta que está dentro de nós, existe um homem velho, existe uma mulher velha dentro de nós que precisa ser jurado de morte. Não haverá entrada na Terra Prometida, não haverá ida para o céu se nós não jurarmos de morte esse homem egoísta, essa mulher egoísta que está dentro de nós.

Então é aqui o caminho da Páscoa, da passagem, pois bem, mas nós não estamos sozinhos. Com a graça de Deus, Jesus caminha conosco e caminha à nossa frente. Ele nos dará a graça, Ele nos dará o poder de ser seus discípulos, mas é necessário que nós, nesse caminho, desde já, humildes mendigos da graça de Deus, peçamos a Ele a força, a força para morrer de amor por Ele e ressuscitarmos para a Sua glória.

Deus abençoe você.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Acima, texto transcrito do vídeo:


Abaixo, texto do site:

Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas

(Lc 9, 51-56)

Estava chegando o tempo de Jesus ser levado para o céu. Então ele tomou a firme decisão de partir para Jerusalém e enviou mensageiros à sua frente. Estes puseram-se a caminho e entraram num povoado de samaritanos, a fim de preparar hospedagem para Jesus. Mas os samaritanos não o receberam, pois Jesus dava a impressão de que ia a Jerusalém. Vendo isso, os discípulos Tiago e João disseram: "Senhor, queres que mandemos descer fogo do céu para destruí-los?" Jesus, porém, voltou-se e repreendeu-os. E partiram para outro povoado.

"Com firme decisão", relata o evangelista São Lucas, Jesus parte em direção a Jerusalém. Como que recapitulando toda a peregrinação por que passou o povo de Deus em seu itinerário até chegar à Terra Santa, o Senhor se dirige a partir de agora à Cidade Santa, a fim de, lá morrendo, lá de cima — do topo do Calvário — salvar o homem decaído.

Sobe a passos largos a Jerusalém, para de lá ser levado para o seu Reino celeste, donde desceu para fazer-se carne humana; aceitando pois a vontade do Pai, Cristo não recusa fazer este sofrido percurso cujo término Lhe há de resultar em morte, mas cujo propósito, por Ele tão ansiado, é-nos trazer de volta a vida que, pelo pecados, havíamos perdido. 

O Senhor nos ensina, assim, que é pelo acolhimento amoroso e humilde do sofrimento, da cruz e de tribulação que nos vem a salvação, o remédio de que precisa o nosso egoísmo. Peçamos-Lhe hoje, em nosso momento reservado à oração, a graça de desejarmos que a nossa vontade se dobre à Sua; que possamos, com coração sincero, querer sofrer por Ele, assim como Ele se dignou sofrer por amor a nós.


-------

Espelho completo e corrigido do link com os textos, áudio transcritos, bibliografias e referências:
https://padrepauloricardo.org/episodios/o-caminho-para-jerusalem