01/10/2016

Memória de Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face - HD341

Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Meus queridos irmãos e irmãs, celebramos hoje com grande alegria, Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face, que foi proclamada Doutor da Igreja.

Qual é a doutrina espiritual que Santa Teresinha tem para nos ensinar e não somente isso, o que é que isto muda nas nossas vidas?

Veja, Santa Teresinha do Menino Jesus vivia numa época em que a espiritualidade da França e de muitos lugares estava marcada pelo jansenismo. Mas o que é o jansenismo? O jansenismo é uma heresia onde a justiça divina se manifesta com muita clareza e, portanto, Deus, que é justo, tem poucos eleitos, portanto, é uma porção pequeníssima da humanidade que será salva e aqui a predeterminação de Deus faz com que a humanidade no fundo, no fundo seja uma "massa damnata", ou seja, uma grande massa de pessoas condenadas ao inferno, somente alguns poucos heróicos e grandes santos que irão para o céu. Essa é a heresia do jansenismo.

Pois bem, nesse ambiente tão avesso à misericórdia de Deus e tão marcado pela justiça divina, Teresinha, sem ter tido aulas de teologia e sem ter tido um diretor espiritual, recebeu uma revelação divina. Como aconteceu esta revelação divina? Bom, em primeiro lugar se você for olhar na vida de Santa Teresinha do Menino Jesus até o Natal dos seus 13 anos de idade, 13 para 14 anos, em 1886, ela era uma menina virtuosa, mas era uma menina desestruturada interiormente. Ela viveu uma doença de somatização que foi curada por um sorriso de Nossa Senhora, mas depois, logo caiu em seguida, na doença dos escrúpulos, também foi curada e, finalmente, uma hipersensibilidade, onde ela chorava e depois chorava por ter chorado.

Mas, no Natal daquele ano, Teresinha é tocada pela graça e ali começa - ela mesma usa essa expressão - "a dar passos de gigante". E ali ela começou a descobrir uma realidade, que é a realidade da misericórdia de Deus. Isso aconteceu de forma bem específica quando ela recebeu a permissão especial, no mês de maio, de comungar com mais frequência. E naquelas comunhões frequentes, Santa Teresinha então viveu, experimentou aquilo que Jesus diz no evangelho de São Mateus, no capítulo 11: "Eu vos louvo, Pai, eu vos bendigo, porque escondestes estas coisas para os sábios e entendidos e as revelastes aos pequeninos". Santa Teresinha, na comunhão, pode experimentar esta revelação de que quando eu sou pequeno e confio, me entrego contidamente nos braços do Pai, como criança no regaço acolhedor de sua mãe, ali eu verdadeiramente começo a entrar nos céus. O Reino dos Céus é revelado aos pequeninos. Isso quer dizer o seguinte, de forma bastante concreta, que os soberbos não irão conhecer Deus, Deus resiste aos soberbos.

Lúcifer, Lúcifer era um anjo muito inteligente, muito dotado na sua natureza angélica, mas a sua soberba fez com que ele jamais conhecesse Deus. Lúcifer jamais verá Deus face a face. Na oração da Coleta de Santa Teresinha do Menino Jesus, que nós temos no Missal, a oração do dia nos fala exatamente isso: que o Reino dos céus é aberto pelos pequeninos e, por isso, nós pedimos que, pela intercessão de Santa Teresinha, nos seja revelada a glória deste Reino. Mas essa glória só é revelada aos pequenos e humildes, por isso, o caminho de Santa Teresinha, a "Pequena Via de Santa Teresinha" é um caminho de uma entrega confiante no amor de Deus. São João, na sua primeira carta, ele diz que se o nosso coração nos acusa, Deus é maior do que o nosso coração.

O amor de Deus é muito maior do que aquilo que nós julgamos de nós mesmos, porém, é importante que a gente entenda realmente as lições desta grande doutora da Igreja e que a gente se livre de alguns preconceitos. Veja, só, algumas pessoas usando um conceito de "infância espiritual", expressão que não se encontra em Santa Teresinha, terminaram fazendo com que a doutrina de Santa Teresinha seja a doutrina de quem não quer crescer espiritualmente, ou seja, de uma infantilidade espiritual, na verdade, ao invés de uma infância espiritual, onde eu simplesmente, presunçosamente e de forma imatura, sei que a misericórdia de Deus vai me salvar, não importa o que eu fizer. Isto é um erro. Isto é uma distorção da doutrina de Santa Teresinha. É exatamente ao contrário. Santa Teresinha, exatamente porque se lançou como uma criança pequena, confiante no Coração de Deus, foi capaz de dar passos de gigante.

É aqui que a gente vê a coincidência da doutrina da Pequena Via de Santa Teresinha com aquilo que a própria Virgem Santíssima viveu no seu cântico do "Magnificat": "O Senhor olhou para a humildade de sua serva", essa é a primeira parte, ou seja, a primeira parte da humildade, deste buraco, este fosso imenso de humildade que nós precisamos cavar na nossa vida interior. E aí, exatamente com esta humildade, a Virgem Maria pode dizer: "O Senhor fez em mim maravilhas".

Deus quer de nós a maravilha do amor, Deus nos dará a graça de um amor, de um amor heroico, a própria humilde Teresinha dizia, sim, isso pode nos assustar, mas ela dizia: "Eu não quero ser santa pela metade, eu sei que Deus quer que eu seja uma grande santa". Mas como é possível uma menina humilde, uma menina que se abaixava tanto, dizer que "Deus quer de mim que eu seja uma grande santa"? É porque ser santo é amar Deus e nós não podemos aqui colocar limites e medidas ao amor de Deus.

Deus quer de nós a santidade, mas Deus quer de nós não pouca, Deus quer de nós muita santidade. Pode parecer pretensioso dizermos isso, então troca a palavra, tira a palavra santidade, põe a palavra amor. Deus quer de nós um amor generoso, heroico, um amor, o maior amor que nós possamos dar. Mas você olha pra você e vê que você é incapaz de amar, isso pode parecer desesperador e foi exatamente isso que em Santa Teresinha aconteceu o milagre.

No meio dessa experiência desesperadora de que eu não sou capaz de amar, uma confiança enorme, ilimitada no fato e que Deus me dará a graça de amar, mesmo quando eu olho para dentro de mim e vejo a evidência do contrário, mesmo quando eu olho para dentro de mim e vejo que a minha natureza não dá conta disso, mas se eu continuar, se eu perseverar na vida de oração, se eu perseverar na vida generosa de entrega, se eu perseverar odiando os meus pecados e abraçando a misericórdia divina, se eu perseverar nesta luta em que eu verdadeiramente vou sendo transformado por dentro, mesmo que isso seja sofrimento, mesmo que isso seja cruz, mesmo que isso seja dor, a graça de Deus dará o seu fruto.

Sim, Deus esconde esta doutrina dos soberbos, mas se você continuar humilde, batendo no peito, confiando, você verá, Deus terá compaixão e dará a você a graça de amar e amar de forma extraordinária.

Que no dia de hoje as rosas da graça de Deus venham no seu jardim e frutifiquem em frutos de amor para a glória de Deus.

Deus abençoe você.

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.


Acima, texto transcrito do vídeo:



Abaixo, texto do site:


Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo segundo São Lucas
(Lc 10, 17-24)

Naquele tempo, os setenta e dois voltaram muito contentes, dizendo: "Senhor, até os demônios nos obedeceram por causa do teu nome".

Jesus respondeu: "Eu vi Satanás cair do céu, como um relâmpago. Eu vos dei o poder de pisar em cima de cobras e escorpiões e sobre toda a força do inimigo. E nada vos poderá fazer mal. Contudo, não vos alegreis porque os espíritos vos obedecem. Antes, ficai alegres porque vossos nomes estão escritos no céu".

Naquele momento, Jesus exultou no Espírito Santo e disse: "Eu te louvo, Pai, Senhor do céu e da terra, porque escondeste essas coisas aos sábios e inteligentes, e as revelaste aos pequeninos. Sim, Pai, porque assim foi do teu agrado.

Tudo me foi entregue pelo meu Pai. Ninguém conhece quem é o Filho, a não ser o Pai; e ninguém conhece quem é o Pai, a não ser o Filho e aquele a quem o Filho o quiser revelar".

Jesus voltou-se para os discípulos e disse-lhes em particular: "Felizes os olhos que veem o que vós vedes! Pois eu vos digo que muitos profetas e reis quiseram ver o que estais vendo, e não puderam ver; quiseram ouvir o que estais ouvindo, e não puderam ouvir".

É com grande alegria que comemoramos hoje a memória de Santa Teresinha do Menino Jesus e da Sagrada Face. Proclamada Doutora da Igreja em 1997 pelo bem-aventurado Papa São João Paulo II, Santa Teresa de Lisieux ensinou um caminho acessível e seguro a todos quantos, fiéis ao seu compromisso de Batismo, aspiram verdadeiramente à santidade e à glória eterna; trata-se de suapequena via, que consiste em abandonar-se com a confiança duma criança nos braços misericordiosos de Deus, crendo com firme esperança que Ele há de conceder-nos todas as graças de que tivermos necessidade para vencer o nosso egoísmo e amá-lO com o amor de que é digno. 

Temos de pôr-nos diante dEle na condição humilde de crianças pequenas, que se sabem incapazes de fazer o que quer que seja sem a presença e o auxílio de seus pais; temos pois de abandonar aquela atitude sobranceira dos orgulhos e dos que se julgam autossuficientes, dos que, à semelhança de Lúcifer, amam louca e desordenadamente a própria "excelência". Pois é somente ao nos rebaixarmos e aceitarmos que nada somos nem podemos que o Senhor poderá encontrar espaço em nosso coração para derramar a sua caridade, para fazer de nós os grandes santos que Ele tanto deseja. 

Recorramos hoje à intercessão de Santa Teresinha, a "maior entre os santos modernos" — como lhe chamou Pio XI —, e lhe peçamos que faça chover sobre nós as rosas da divina graça, a fim de que, plantadas no solo de nossa alma, deem abundantes frutos de amor para a maior glória de Deus.


-------

Espelho completo e corrigido do link com os textos, áudio transcritos, bibliografias e referências:
https://padrepauloricardo.org/episodios/memoria-de-santa-teresinha-do-menino-jesus-e-da-sagrada-face