24/11/2016

O Rei, a Rainha e o plebeu

Era uma vez, um reino que depois de uma dura batalha contra os bárbaros terríveis, venceu e se tornou o reino dos reinos, o maior reino de toda terra. No reino, reinava um Rei e sua mãe, onde naquela época, era comum o Rei proclamar sua mãe, Rainha do seu reino.

Neste reino havia um plebeu, chamado João, que durante a grande batalha, fora salvo diversas vezes pelo próprio Rei, em seu cavalo branco, em diversas enrascadas dos bárbaros.

Depois do fim de todas as batalhas, João queria dar algum presente para o Rei em forma de agradecimento, por ter salvo sua vida várias vezes. Mas havia um problema. João era muito pobre, miserável, imundo, e vivia na rua como pedinte. Mesmo assim, estava decidido de presentear o seu magnífico Rei.

João saiu do seu reino, para se aventurar fora dos muros protegidos, e procurar um presente digno para o seu Rei. Depois de buscar por todo o canto da região, nada que ele fosse pegar para presentear, parecia digno. Se viu em grande apuros, pois era uma batalha mais difícil que a dos bárbaros, encontrar um tesouro para o seu amado Rei, digno de ter todos os tesouros da terra.

Foi quando estava passando por um enorme jardim florido, que caiu de joelhos, em prantos, sentindo-se derrotado. Então, andando pelo lindo jardim, pegou a melhor rosa que havia encontrado, mas cheia de espinhos, e retornou ao reino.

Chegando as portas do reino, entrou, e foi direto ao castelo do seu Rei. As portas do castelo, bateu 3 vezes, e um subordinado do Rei veio ao seu encontro. João, então lhe contou a sua história. Ele comoveu o servo do Rei. O servo pediu que João entrasse e prontamente chamou, em vez do Rei, a Rainha.

Numa das salas do castelo, João contou sua história com mais detalhes, e mostrou a rosa a Rainha. Envergonhado, pediu que entregasse ao seu Rei, pois não havia encontrado nada mais digno, e muito menos ele se sentia digno de entregar ao Rei, sendo ele miserável. Depois disso foi embora.

A Rainha então pegou esta rosa, mandou os guerreiros mais valorosos do reino buscarem das mais lindas rosas nas redondezas dos muros. Depois, pediu que o tesoureiro do reino pegasse as jóias mais belas de todo o reinado. Depois que tudo chegou em suas mãos, colocou numa cesta toda adornada em ouro e diamantes, revestiu-a com as flores, encheu-a de jóias, e colocou a rosa dada por João bem no centro.

E com muito amor e muito zelo pelo presente que João havia oferecido, levou ao Rei. O Rei se emocionou com o presente, e convocou todo o reinado para uma festa. Nesta festa deu um grande e valoroso discurso, e mostrou o presente que havia recebido, todos se maravilharam, e João, grandiosamente agradecido pela Rainha, clamou, Salve a Rainha e o Rei!

FIM! Mas ainda não acabou?

Essa é uma estória lúdica, para ilustrar a nossa relação REAL com Jesus Cristo. Todos nós somos um pouco ou muito do que o plebeu é, miseráveis, imundos em nossos atos, corações. E qualquer coisa que formos oferecer a Jesus, pequenina ou grandiosa, para Ele, que é Deus do universo, corresponde a nada. Ao passo que se torna uma ofensa a Ele.

Mas, quem pode recusar um presente de sua mãe amada? Nenhuma mulher, até Maria nascer, foi digna de conceber Jesus, e como ela é a preferida, a predileta de Deus, quando ela presenteia algo a Jesus, os anjos e os santos glorificam nos Céus, e Jesus fica enormemente feliz.

Como foi Deus que a escolheu para Rainha de todo o universo, Maria possui a realidade de que foi ela que trouxe Jesus ao mundo, então é através dela que o mundo deve ir até Jesus de forma mais digna e eficaz, a outra realidade é que como Rainha de todo o Universo, ela tem acesso a todas as riquezas, por nós conhecidas e desconhecidas.

Então, se darmos a Maria nosso presente, que mais parece uma ofensa, cheio de espinhos, para que entregue a Jesus, sem sombra de dúvida, que para o Filho amabilíssimo desta grandiosíssima mulher e detentora de todos os tesouros do universo, irá revesti-lo dos tesouros mais belíssimos que ninguém nunca poderá imaginar.

FIM!

Autor Desconhecido!